Textos de MLuiza Martins

Quando não se pode amar um, é libertador amar a todos.

Textos


 
TERÇA,18/04/2017
Noite já chegando, silenciosa, inexpressiva, eu ia falar alguma coisa.
Neném chegou inesperadamente como é arte sua e salta do chão para o teclado do computador. Anda com esta mania ultimamente. Só percebo quando já sobre as teclas , interferindo no que faço,penso e sinto.
Tenho que esquecer de mim e do que ia fazer, para segurá-la e salvar as teclas já registradas. É abuso só porque sabe que é amada.
É um encanto mesmo,e cada dia mais linda e doce, suave, amorosa=[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[~çýjtrkhgeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeekgmn.
Isso foi ela de novo se instalando sentada e curtindo o quentinho do teclado.
Foi até bom, pois desconfio que eu ia dizer de tristeza e decepção, coisas que ultimamente andam me perturbando e não tenho com quem dialogar.
Krishnamurti dizia que o que se devia fazer num momento desse tipo. Dizia  para agir imediatamente. Nossas ações estão condicionadas a coisas boas. Se nada bom estamos querendo por em ação, é melhor rejeitar qualquer ação.
Se compreendo o nenhum valor desta ação, então é agir. Não perguntar como agir, o que fazer; agimos, e esse ato será a mais bela das ações.
 
MLuiza
 
MLuiza Martins
Enviado por MLuiza Martins em 18/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://recantodasletras.uol.com.br/autores/mluiza). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras